ESCLARECENDO DIFERENÇAS

Muitas pessoas antes de assistirem minha palestra sobre Geração Z se questionam o quão importante é estudarmos o processo geracional, afinal, qual a importância das gerações no seu negócio? Ou até mesmo, no seu dia-a-dia?

Bem, estudar o processo geracional nos implica compreendermos o valor histórico, político e econômico das mais distintas culturas ao longo da história. Como vocês sabem, não me considero nenhum guru do conhecimento, mas sou alguém que gosta de pesquisar e de entender cada vez mais o que são as diferenças e quais são elas.

Desta maneira, encontrei este vídeo super recente e muito inteligente do The Infographics Show, que elucida de maneira simples e fácil as distinções entre a Geração Y e a Geração Z:

Por saber que há dificuldades em diferenciar ambas as gerações, é que eu acredito ser interessante este material. O que vocês acharam?

TRUE CONSUMERS

TRUE CONSUMERS nada mais são do que os consumidores que querem consumir e/ou já consomem toda e qualquer tipo de situação, informação, produto ou serviço que faça sentido para os valores individuais deles;

O “consumidor verdadeiro” ou “consumidor real“, segundo a tradução livre, é o tipo de consumidor que não aceita a compra de likes; que não acredita na influência por influência se a mesma não causar impacto com causas que façam sentido para o mundo (e não de cunho individual e exibicionista).

ESPECIALIDADE DE MERCADO & A GERAÇÃO Z

Há poucos dias fui convidado pela BAND TV e pela LS8 Assessoria de Relacionamento, para estar presente no I Fórum Sul-Americano do Negócio do Luxo ocorrido em Porto Alegre.

Com uma mega estrutura, o evento foi muito maior do que eu imaginava que ele seria. Isso permitiu alguns encontros e reencontros com profissionais dos mais diversos mercados que estavam presentes lá para desmistificarem um pouquinho do “valor do luxo“, permitindo assim, a re-significação da palavra através das palestras apresentadas, nos levando a compreender que educação e excelência são os pilares fundamentais para qualquer high business.

O que mais me chamou atenção foi a falta de aderência de um córum jovem tanto na apresentação das palestras quanto na presença de participantes… Isso corresponde muito na visão-valor que a geração Z determina para esse nicho de mercado.

Muito embora as marcas de luxo queiram dialogar com o consumidor mais jovem, os millenials ainda são a sua principal porta de conexão com o mundo atual. Mas, me pareceu um tanto quanto posto de lado pelos especialistas de mercado, a importância política, social, econômica e de influência dos aspectos de “true consumer” que nós, pertencentes a Geração Z tanto buscamos.

Pode ser que haja um certo receio na estratégia de comunicação e relacionamento com esse público, uma vez que a disseminação da logomania já é feita pela geração anterior (Y), permitindo o acesso ao conhecimento de nomes como “Gucci”, “Vuitton”, “Valentino”, “Gabbana”, “Lacoste”… Através de parcerias com marcas que dialogam com verdade em todo o seu branding, aproximando-se assim, dessa cultura urbana, “real” e fresh (nem sempre jovem).

Essa lógica nos leva a compreender que a fala do “high business” é feita por terceiros em direção a Gen Z, e não na primeira pessoa. Desta maneira, a análise é preocupante levando em conta a circulação financeira que toda esta nova geração já representa: mais de $44,5 bilhões de dólares anualmente.

Ou seja, há poder de compra, mas não há poder de interesse em primeiro contato. O mercado do luxo ainda é distante, elitista e muito segregador, características um tanto dúbias para os valores geracionais… Mas ainda assim, consistentes com o DNA progressista de tradicionalismo apresentado pela geração.

True Consumers consomem com verdade e não com receio. Ta na hora de apostarem na gente!

WORKSHOP MARKETING PESSOAL – TERCEIRA EDIÇÃO PORTO ALEGRE

Depois de duas edições muito bem recebidas na capital gaúcha, retornamos mais uma vez com o Workshop de Marketing Pessoal destinado para estudantes, jovens empreendedores e interessados no assunto.

MÉTODO DE APLICAÇÃO

Toda voz precisa de expressão para conseguir comunicar-se. Esse é o objetivo do Marketing Pessoal: comunicar.

• Estruturado em 3 horas, o evento contará com a troca de ideias e de relacionamento com o grupo, passando por técnicas de aprimoramento de relação, atividade prática e ampliação dos valores de mercado.

• Desenvolvido especialmente para quem está querendo entrar no mercado de trabalho, mudar a vida ou simplesmente, melhorar a performance do seu Networking.

VALOR: O preço continua sendo acessível, R$50,00 comprados direto pelo sympla (clique aqui).

LOCAL: Felix da Cunha, 1215, Pátio Ivo Rizzo, Moinhos de Vento – Porto Alegre, RS

Novamente contamos com o apoio do Oaks Burritos, nosso parceiro dessa empreitada que promete ser tão especial quanto as duas primeiras.

CIRCUITO FASHION REVOLUTION NA UNISINOS

A convite da Unisinos fui participar no último dia 26/04 sobre o debate e troca de ideias do Circuito Fashion Revolution, projeto que há dois anos vem sendo capitaneado pela universidade e que em 2018 ganhou ainda mais visibilidade para falar sobre temas importantes do setor têxtil e mercadológico em Porto Alegre (RS).

Confira:

Para quem não sabe, o Fashion Revolution surgiu como um movimento questionador para com quem realmente produz todo o processo de uma peça de roupa, indo contra ao trabalho escravo, aos abusos do mercado, a poluição e a má utilização da matéria prima (gerando desperdício). Conhecido também como “Fashion Revolution Day“, o evento é constituído por um conselho global de líderes da indústria da moda sustentável que decidiram se unir depois do desabamento de um edifício em Bangladesh no dia 24 de abril de 2013, deixando 1.133 mortos e 2.500 feridos. Por isso, há 5 anos abril é considerado o mês oficial para chamar atenção sobre todo esse processo!

Para quem ficou interessado em saber mais informações sobre o evento, sugiro conhecerem o site oficial aqui no Brasil, clicando aqui.

Durante o debate, um dos pontos levantados na discussão por mim foi o novo modelo de escravidão que estamos vivendo e que afeta tantas pessoas quanto qualquer outro método exploratório. Inclusive, se você ainda não leu o meu artigo falando sobre essa questão, sugiro você saber mais clicando aqui.

Além disso, falamos também com todos os parceiros presentes (marcas locais de pequeno e médio porte, até, gigantes do varejo que estavam representadas no espaço) e discutimos a importância dos valores que todas essas empresas insistem em levantar bandeiras, afirmando serem transparentes e éticas no mercado.

Numa troca muito interessante, o evento foi bem pertinente e ultra interativo, mostrando que realmente precisamos de mais espaços como este para tratar temas além das nossas bolhas… Afinal, como falado lá mesmo: nossa bolha social já está “educada”, precisamos agora educar os outros algoritmos fora dela.

E você já questionou sobre o assunto?