INSPIRAÇÃO DO DIA: Alice X. Zhang

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

Outro dia eu estava lendo uma edição da revista Super Interessante que tinha as quatro telas do quadro O Grito, de Munch. Lembro que na matéria dizia que as quatro pinturas continham o mesmo sentimento, porém aplicado de maneiras diferentes tendo algumas vezes pequenos detalhes que davam uma sofisticação nas suas variações. Eu penso que sobre cada etapa dos quadros, Munch queria mostrar o que ele sentia através da sua arte mais fenomenal, que é O Grito.
Então, outro dia eu estava navegando pela internet quando encontrei uma designer incrível chamada Alice X. Zhang.




A Alice para quem não conhece é uma ilustradora e designer, que tem seus trabalhos espalhados pela internet. Vocês conseguem conhecer melhor os trabalhos dela no tumblr da moça, que é bem bacana.
Sobre a minha comparação com O Grito, eu interpretei as fases que nós homens passamos pela vida. Talvez não só o sexo masculino, mas o ser humano em si. Se vocês observarem na primeira imagem o homem ainda é preto e branco, sem vida mas tênue consigo mesmo. Na transgressão da segunda imagem observamos já algum indicio de vida. Curto, mas instigante. Já na terceira imagem, a evolução continua sendo evolucionada, trazendo a vida agora de maneira consciente, talvez até sã. Na quarta imagem já notamos que a vontade de viver, de conhecer mais sobre cada detalhe e até de impulsionar mais cores é completamente grande em relação com a primeira imagem. E por fim, quando chegamos na grande transformação, que é a quinta imagem, vemos um homem de maneira nítida, apto a esboçar seus traços, emoções e até pensamentos se levarmos em conta todas as cores agora em contraste. Assim, vejo uma co-relação com os quadros do Grito, porque se vocês observarem cada etapa permance com o seu sentido, mas evolucionada de acordo com o período, e aqui nas imagens da Alice também. Amo arte, e adoro mais ainda quando consigo ver essas co-relações entre grandes artistas (muitas vezes de áreas e períodos diferentes, mas não menos capazes de produzir e representar emoções).

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *