CIRCUITO FASHION REVOLUTION NA UNISINOS

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

A convite da Unisinos fui participar no último dia 26/04 sobre o debate e troca de ideias do Circuito Fashion Revolution, projeto que há dois anos vem sendo capitaneado pela universidade e que em 2018 ganhou ainda mais visibilidade para falar sobre temas importantes do setor têxtil e mercadológico em Porto Alegre (RS).

Confira:

Para quem não sabe, o Fashion Revolution surgiu como um movimento questionador para com quem realmente produz todo o processo de uma peça de roupa, indo contra ao trabalho escravo, aos abusos do mercado, a poluição e a má utilização da matéria prima (gerando desperdício). Conhecido também como “Fashion Revolution Day“, o evento é constituído por um conselho global de líderes da indústria da moda sustentável que decidiram se unir depois do desabamento de um edifício em Bangladesh no dia 24 de abril de 2013, deixando 1.133 mortos e 2.500 feridos. Por isso, há 5 anos abril é considerado o mês oficial para chamar atenção sobre todo esse processo!

Para quem ficou interessado em saber mais informações sobre o evento, sugiro conhecerem o site oficial aqui no Brasil, clicando aqui.

Durante o debate, um dos pontos levantados na discussão por mim foi o novo modelo de escravidão que estamos vivendo e que afeta tantas pessoas quanto qualquer outro método exploratório. Inclusive, se você ainda não leu o meu artigo falando sobre essa questão, sugiro você saber mais clicando aqui.

Além disso, falamos também com todos os parceiros presentes (marcas locais de pequeno e médio porte, até, gigantes do varejo que estavam representadas no espaço) e discutimos a importância dos valores que todas essas empresas insistem em levantar bandeiras, afirmando serem transparentes e éticas no mercado.

Numa troca muito interessante, o evento foi bem pertinente e ultra interativo, mostrando que realmente precisamos de mais espaços como este para tratar temas além das nossas bolhas… Afinal, como falado lá mesmo: nossa bolha social já está “educada”, precisamos agora educar os outros algoritmos fora dela.

E você já questionou sobre o assunto?

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *